Protocolo de endometriose

O que é endometriose?
Cerca de 10% das mulheres apresentam uma inflamação do tecido endometrial, chamada endometriose, que provoca cólicas intensas e pode causar dificuldade para engravidar. A doença ocorre quando há a presença de células do endométrio em locais fora do útero. Esse tecido deve ser expelido na menstruação se não houve fecundação, mas eventualmente migra no sentido oposto e atinge peritônio, ovários, bexiga ou intestino. Existe ainda uma forma mais grave, a endometriose profunda, cujas causas ainda não são bem conhecidas. Uma hipótese é o refluxo do sangue através das trompas que se deposita em outros órgãos. Existe ainda a suspeita de que a causa seja genética.

Como diagnosticar
O diagnóstico da endometriose é um dos maiores desafios, já que a doença tem sintomas inespecíficos. É uma doença de difícil detecção no exame físico e ginecológico. Quando há a suspeita da doença, como em caso de cólicas menstruais muito intensas, dor durante a relação sexual ou dificuldade para engravidar, o ginecologista segue um protocolo. Primeiro, o médico examina a vagina e, se suspeitar de endometriose intestinal, observa também o reto.
Se a suspeita persistir, o protocolo prevê a realização de ultrassom pélvico ou transvaginal com preparo intestinal, exame de sangue CA 125 e ressonância magnética. Em casos específicos, a investigação poderá incluir exames de outros órgãos para avaliar o grau de comprometimento dos tecidos.

Como são feitos os exames
Para melhor visualização no diagnóstico da endometriose ovariana, na bexiga, ureteres, na vagina ou na parede do reto, o ultrassom pélvico ou transvaginal exige o esvaziamento do intestino com a ajuda de um laxante via oral na véspera do exame, dieta específica e lavagem por via retal.
O exame CA 125 não requer jejum, mas não se pode ingerir bebidas alcoólicas 48 horas antes e não ter realizado exames com contrastes 3 horas antes. O resultado fica pronto em 2 dias. A ressonância magnética da pelve costuma ser prescrita quando a paciente é virgem ou há dúvidas em relação ao resultado da ultrassonografia, principalmente para diferenciar cistos ovarianos, e quando há envolvimento dos ureteres, de plexos nervosos e do assoalho pélvico.
Um exame decisivo no diagnóstico da endometriose é a videolaparoscopia, que permite também fazer o estadiamento da doença e o recolhimento de tecido para biópsia. Pode ainda ser realizado para verificar se o tratamento está apresentando o resultado esperado.
videolaparoscopia é o melhor exame para identificar a endometriose porque não deixa nenhuma dúvida da doença, e também serve para verificar o estadiamento da doença, e permite que seja feita uma biópsia do tecido para verificar se alguma suspeita de malignidade.
Esse exame também pode ser solicitado depois de algum tempo de tratamento para verificar se está tendo o efeito esperado, mas normalmente não é a primeira opção do médico porque é caro e invasivo, sendo necessário anestesia e primeiro deve-se descobrir outros focos de endometriose para diminuir o tempo em que o exame é realiza
videolaparoscopia é o melhor exame para identificar a endometriose porque não deixa nenhuma dúvida da doença, e também serve para verificar o estadiamento da doença, e permite que seja feita uma biópsia do tecido para verificar se alguma suspeita de malignidade.
Esse exame também pode ser solicitado depois de algum tempo de tratamento para verificar se está tendo o efeito esperado, mas normalmente não é a primeira opção do médico porque é caro e invasivo, sendo necessário anestesia e primeiro deve-se descobrir outros focos de endometriose para diminuir o tempo em que o exame é realizado.
videolaparoscopia é o melhor exame para identificar a endometriose porque não deixa nenhuma dúvida da doença, e também serve para verificar o estadiamento da doença, e permite que seja feita uma biópsia do tecido para verificar se alguma suspeita de malignidade.
Esse exame também pode ser solicitado depois de algum tempo de tratamento para verificar se está tendo o efeito esperado, mas normalmente não é a primeira opção do médico porque é caro e invasivo, sendo necessário anestesia e primeiro deve-se descobrir outros focos de endometriose para diminuir o tempo em que o exame é realizado.

Diferenciais do CURA
Contamos com uma equipe de médicos especialistas em ultrassom, ressonância magnética e videolaparoscopia para investigação de endometriose.

Vantagens
O ultrassom pélvico e a ressonância magnética não são exames invasivos, e o transvaginal é minimamente invasivo. Ambos são eficientes e não provocam dor.
Combinados, esses exames permitem uma visão complementar dos inúmeros sítios mais acometidos pela endometriose. A ressonância magnética possibilita a determinação das camadas comprometidas pelo foco da doença.
A videolaparoscopia é um exame minimamente invasivo e mais preciso, mas exige anestesia e tem custo mais elevado que os demais.

Contraindicações
Não há contraindicações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *